Ronco é um problema social. Um motivo para divórcio, no pior dos casos, e, pelo menos, um motivo suficiente para dormir o mais longe possível um do outro.


Dormir de barriga para baixo é um grande não para aqueles que tendem a ressonar, mas com isso, às vezes, não alcança


Estima-Se que 40% dos homens e 24% das mulheres roncam, de acordo com dados da Dra Margarida Reynolds, otorrinolaringóloga e especialista em medicina do sono. Felizmente, existem estratégias –algumas, diárias– para reduzir o problema.


1. Perder peso


70% dos roncadores deixariam de sê-lo apenas por emagrecer, afirma o Dr. Diego Folgueira, médico de planta do serviço de ORL do Hospital Alemão.


O ronco é produzido por uma vibração e uma estreiteza das estruturas da via aérea alta. Ou seja, por uma obstrução da passagem do ar. O excesso de peso aumenta o depósito de gordura no pescoço e nos tecidos, e isso reduz o tamanho da via aérea”, explica a Dra.


2. Não se deitar logo após o jantar (e comer leve)


3. Não tomar tranquilizantes, nem álcool por noite


Tanto os sedativos como o álcool, ao gerar relaxamento muscular, fazem com que a língua também se “soltar” e faça barulho ao passar o ar, detalha Folgueira.


4. Dormir de lado


De barriga para cima, a língua cai para trás e obstrui a passagem do ar. “Ao reduzir o espaço, o ar inspirado, tem um fluxo turbulento e gera o movimento das estruturas moles, como o palato, causando o ronco”, comenta a Dra.


Adicionar algumas almofadas também pode ajudar a ampliar o diâmetro da via aérea, sugere a especialista.


5. Deixar de fumar


O tabagismo, por causar inflamação, reduz o tamanho da via aérea, explica a Dra. Além disso, altera a capacidade respiratória em geral.


6. Recorrer a uma cirurgia


Às vezes, o ronco é causado pelo tamanho das amígdalas. Ou porque não pode respirar bem pelo nariz. Nesses casos, a cirurgia pode resolver o problema.


Existem também operações da base da língua e do palato, para torná-lo menos móvel. “O mais importante é ver como ajudar cada paciente”, diz Folgueira.


7. Usar dispositivos


Há bandas adesivas nasais que aumentam o espaço da passagem de ar. Também, dispositivos de avanço mandibular, que, sob o controle dentário, podem ser úteis para aumentar o diâmetro da via aérea.


Outra alternativa é dormir com uma máscara de CPAP, que sopra ar pressurizado sobre o nariz, para manter a via aérea desobstruída. “O ideal é realizar uma revisão clínica, para avaliar se este tipo de dispositivos pode ajudar”, afirma a Dra.


“Ressonar não é uma doença”


“É uma manifestação”, define Folgueria. Poderia ser um indício de apneia do sono, uma interrupção respiratória que faz com que diminua a pressão de oxigênio no sangue, entre outros desequilíbrios.


Se um rouca, a única maneira de identificar se é realmente uma patologia ou se sofre de apneia, é fazer uma pesquisa. Perante a dúvida, sempre é conveniente consultar o seu médico, especialmente se, além do ronco, experimenta-se, sonolência diurna, obesidade, diabetes, hipertensão arterial ou batimentos cardíacos irregulares